Ter boas maneiras é uma arte onde você é bem vindo, caso respeite algumas diferenças, tratando as pessoas normalmente – e com requinte. Ter boas maneiras é saber comportar-se nas situações corriqueiras de sua casa, do seu escritório, ou em qualquer ambiente, sem causar desconforto a outras pessoas e respeitando-as.

Você não precisa estar perante uma autoridade ou alguém de um nível social diferente do seu, para radicalmente mudar de comportamento.

Se você não agir naturalmente, seu interlocutor nem precisará ser um bom observador, para constatar que você está forçando uma atitude. Atitudes forçadas parecem falsas e pedantes e sem querer você pode se tornar inconveniente.

Certos comportamentos devem ser um hábito e devemos pratica-los normalmente para que não nos tornemos fúteis ou soberbos. Assim, vamos revisar atentamente algumas atitudes, posturas e até mesmo situações embaraçosas que provavelmente já nos deparamos e que conseguimos sair – usando o nosso bom senso e um sutil disfarce.

É evidente que devemos tratar as pessoas igualmente e da maneira como gostaríamos de ser tratados. Seja amável, começando pelas pessoas de seu convívio assim como os familiares. O exemplo é dado dentro de casa.

As palavras e conselhos que nossos pais e avós nos davam não caíram em desuso. Observe quando você mesmo se flagra repreendendo seu filho, seja por ele estar falando alto demais ou não cumprimenta uma visita – ou até mesmo quando não dá licença aos mais velhos: isso não é ser exigente demais; se cada um de nós fizer a sua parte, poderemos viver num mundo melhor em matéria de inter-relacionamento.

Não se esqueça das datas importantes das pessoas de seu convívio! Mantenha uma agenda em dia, marcando, até mesmo, os falecimentos, para evitar perguntar por alguém que já não faz parte do convívio social. A maioria das pessoas sente-se lisonjeada e se impressiona quando é lembrada em seus aniversários ou até mesmo quando recebe um cartão de Natal. É natural.

A partir daqui você vai encontrar algumas situações que você mesmo pode já ter passado e algumas dicas para sair – elegantemente – delas.

Sofia Rossi

Para adquirir seu exemplar entre em contato:

[email protected]